domingo, 18 de março de 2007

O cacto que chorou sangue ...


Enquanto hoje observava as diversas florinhas que começam a desabrochar nos vasos da minha varanda e no canteiro, veio-me à memória uma marotice há muitos anos praticada por um meu colega, já aposentado.

No organismo onde trabalho, o horário é de caracter permanente e obrigatório e há uns anos atrás, as diversas Secções eram constituídas quase exclusivamente por homens de meia idade, cuja vida tinha sido dedicada à instituição, alguns levando o trabalho tão a sério que faziam da sua profissão um sacerdócio.

Numa das secções havia um funcionário, o Senhor Pinho, que tinha sobre o cacifo um vaso com um cacto que lhe fora oferecido por uma namorada, do qual cuidava religiosamente, dedicando-lhe exagerada atenção, chamando a atenção dos colegas e dando origem a piadinhas.

Um dia, o Rito, um dos novatos na secção, aproveitando uma ausência do Senhor Pinho, injectou uma seringa de tinta vermelha no cato e esperou o resultado que não demoraria muito.

No dia seguinte a tragédia seria notícia! Foram encontrar o Senhor Pinho agarrado ao cacto, triste e tão inconsolável que metia dó, vendo-o brotar "sangue" por todos os picos. Lamentava-se dizendo que aquilo só podia ser um mau sinal.

- Só pode ser um "prenuncio de morte" ... decerto singifica o fim do namoro com a minha Julinha!!! E de facto, assim aconteceria dias depois, vá-se lá saber porquê !!!

Mas o verdadeiro mistério que envolveu o "choro de sangue" do cacto, creio que ficou sempre por desvendar!!!

5 comentários:

Ahlka disse...

Que maldade! :)))

adrianna disse...

Tb acho, Ahlka :(
Inda pra mais, o Sr. Pinho faleceu recentemente.

Lá na minha chafarica são mto dados a patifarias, sabes? Fazem cada uma que não lembraria ao diabo :d)

Pascoalita disse...

Tadito do Sr. Pinho ... tadito do cacto tb :(
endiabrados! malvados!

Laura disse...

Quem foi o maldito tomatudo que deu cabo do romance ao homem ? se o apanho..maroto..

Pascoalita disse...

Laurita
Então não leste que foi um tal Rito? Não se faz, né amiga??? tadito do home
E já somos duas à querer "chegar-lhe a roupa ao pelo" eheheh