sábado, 3 de março de 2007

A minha "Primeira vez" ...

À semelhança do que um dia aconteceu ao Poeta Bocage em que estando ele muito aflito, a necessitar urgentemente de satisfazer as suas necessidades fisiológicas, em pleno jardim da Estrela e ao dar de caras com a Raínha que no exacto momento fazia o seu passeio matinal, reza a lenda que naquele seu jeito irreverente, boémio, espontâneo, decide trepar a uma árvore e, virando o traseiro para Sua Alteza Real, limita-se a esconder o rosto com o argumento de que era nele que a vergonha o afligia e, de calças na mão, traseiro a descoberto, foi "arreando o calhau" ... também a mim, sempre que a vergonha me invade, é nesta posição, evitando o contacto directo, que opto por partilhar as minhas experiências mais intimas, já que decorrido tanto tempo, ainda sinto o meu corpo tremer a cada lembrança do que aconteceu naquele verão quente, deixando-me inibida, desconfortável e ruborizada, sempre que me proponho partilhar a minha experiência vivida com alguém tão especial!!!
Foi na Costa na Caparica, mais concretamente na praia do Rei, tendo as dunas por testemunha, que pela primeira vez me deixei tocar por ELE! Sabia, tinham-me descrito detalhadamente, como era vigoroso, intimidador, possuidor duma força sobrenatural, violento, impiedoso, mas ao mesmo tempo agindo de um jeito peculiar, sedutor, que nos hipnotizava e nos impedia de lhe resistir, nos embalava até nos adormecer, transformando-nos em “presas fáceis, completamente à sua mercê. Bem me tinham avisado mas nós, adolescentes e jovens além de descuidadas, somos destemidas, e deixamo-nos seguir pelos impulsos do nosso corpo e como se sabe, uma jovem enamorada raramente é dotada de bom senso.
ELE esperava-me ... chamava-me!Lenta e apaixonadamente, fui encurtando a distância que nos separava, à medida que era invadida por uma vontade inabalável de me despir e me deixar arrebatar, o que ia fazendo em gestos firmes e decisivos, mantendo por fim numa réstea de pudor, a minúscula tanguinha tipo “fio dental" permitindo que fosse ele próprio, abruptamente a arrancar-ma logo ao primeiro contacto.
Aproximei-me, ansiosa, imaginando as loucas sensações que iria experimentar!!!
Senti a minha nudez roçando nele, as suas "carícias" ásperas, vigorosas e gélidas percorreram-me todo o corpo, provocando vibrações em todo o meu interior e proporcionando-me sensações intensas, únicas, indescritíveis, nunca antes experimentadas !!!
Sentia-me cada vez mais dominada e atraída por ELE, ansiando aquele momento mágico de que tanto ouvira falar e, completamente extasiada, fechei os olhos e deixei-me arrebatar contra si.
A comoção foi tal que do que se passou a seguir só me lembro de ter acordado alguns minutos depois, estendida, totalmente "vestida" daquela areia muito fina e húmida"
E, recordo de ter voltado a mim e, envergonhada, ter exclamado:
- Sim, era mesmo assim que o imaginava! Valeu a pena ter vindo de tão longe para este maravilhoso e inesquecível encontro com o MAR!!



18 comentários:

Alphynho disse...

Eu não posso ter encontros desses junto ao mar... da ultima vez que dei um mergulho, provoquei um tsunami na indonesia lol

Alphynho disse...

Um lanche vegetariano?!?! Lamento, mas além de completamente lesbico, gosto imenso de carne :oD
Obrigado pela visita :o)

Laura disse...

Pois pois, por isso o mar foi desaguar noutro lado e saiu tsunami noutra terra mais longe, era o pobre a fugir de ti, para não se afogar nele.. Coitado do mar, a paixão era tanta que o podia afogar...

o alquimista disse...

Pois minha cara amiga os mes encontros com o mar são constantes, vivo numa ilha e a magia que emana dele faz de nós seres de lava sonho e nostalgia...


Doce beijo

adrianna disse...

Laura, ELE não fugiu, abraçou-me e enrolámono-nos um no outro numa onda de paixão tal que eu, uma menininha jovem, inexperiente, não resisti e ... desfaleci. Tadita de mim que nem usufruí de todo o prazer como poderia.
Ai se fosse hoje!!!
Boa semana, menina das résteas
1 beijo

adrianna disse...

Alphynho,
Gostei do teu cantinho e como prometi, um dia destes entrramos ambos em regime, tá?

adrianna disse...

Eu sei Alquimista :-) Qtas experiências arrebatadoras destes não deves já ter vivido. Mas a sua magia contagia-nos sempre.
1 beijo

Laura disse...

Disseste uma frase que me acompanha muitas vezes..o teu e meu eterno..AI SE FOSSE HOJE.. na verdade quantas vezes me recriminei por ter sido tão tótó tão parvinha na minha juventude..já que tinha de tudo para ter sido mais esperta!!Mas..moldaram-nos a cabeçinha com o não se faz, é pecado, é feio, uma menina ajuizada não faz isso, as que fazem são porcas e nós e a nossa burrice ehhhhhhhhhhhhhhhhhhh, mas só podia ser assim ehhh arrependida estou sim de não ter sido mais pá frentex mais pá frentudo ehhhhhhhh O tempo passou, a idade das loucuras também..e o que restou? xiça penico que treta é a vida ehhhhhh

adrianna disse...

Pois é laura, tb eu desabafo com frequência assim:

"hummm emancipei-me entre os 20 e 21 anos, mas se soubesse o que sei hoje, tinha ido aos aos figos logo aos 15 anos" eheheheheh
É por isso que hoje tento viver a correr, para tentar recuperar o tempo perdido, entendes?
1 beijo (amanhã lá recomeça de novo a azáfama)

Ahlka disse...

Li tudinho, do princípio ao fim...Tenho pena não ter participado no início deste Blog para te contagiar com a filosofia de "amanhã é outro dia" :)

adrianna disse...

Olá, Ahlka :)
Quer dizer que a menina se deu ao trabalho de ler as minhas lamúrias, foi??? E não achou muito enfadonho? E ... ???

"... Tenho pena não ter participado no início deste Blog para te contagiar com a filosofia de "amanhã é outro dia"

Não tenho dúvidas de que o saberias fazer :d) aliás, a necessidade de abrir este cantinho surgiu cerca de 1 mês antes, por volta do dia 8 ou 10 de Janeiro, quando por contágio involuntário duma amiga que também atravessava dias menos alegres, me senti virada para dentro de mim e me propus a proceder a uma espécie de auto-análise, deixando-me mergulhar em "antigas memórias", o que me acontece sempre que me sinto nostálgica.
Os desabafos que inicialmente seriam "de mim para mim" acabaram por atrair o carinho e conforto de "Amigos" proporcionando-me momentos de óptima disposição, levando-me a soltar boas e sãs gargalhadas :-d)
1 beijinho

Fallen Angel disse...

Isto merecia uma daquelas tiradas poéticas e românticas género...

« Quem me dera ser o teu mar..»

;-)

O pior era a porcaria da espuma, das algas..

Mas pronto.. foi mais um devaneio meu. Ignora, risca, apaga...

Mas lá que gostava, gostava...

( Beijos ) :-)

africana disse...

O que vale o mar não fala...hum hum, ahahahaha, daí ele "rugir" TOU A SER ACUSADO DE UMA COISA QUE NÃO FIZ!!!!hihhihi

Laura disse...

Pois claro, dai a minha poesia sobre o mar que não conta nada a ninguém..ouve e, cala..pois pois, senão minha nossa que cargas de porradinha ele não levava de muita gente.....

Pascoalita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pascoalita disse...

Anjo, poeta, romântico, espirituoso ... hummm isto vai lindo!
A espuma do mar além de limpar a areia que em determinadas situações se torna incómoda, viria a calhar para um espumoso banho a dois
:)

Pepe Luigi disse...

Gostei muito de te ler nesta agradável narração.

Um beijinho
do Pepe.

Caricas disse...

E assim perdeste os 3.
As águas agitaram-se e ainda hoje vão destruindo a Costa.
É por isso que para a próxima arranja protecção.