sábado, 17 de fevereiro de 2007

Gostoso e inquitante sonho

Despertei abruptamente daquele sonho estranho e indesejado que me mantinha dividida entre confusa, inquieta e desconfortável, ao mesmo tempo que me atraía e cativava, acabando finalmente por me sentir liberta e aliviada embora decepcionada, por não passar disso mesmo … um mero sonho!


Não mais me lembrara do assunto até hoje, no exacto momento em que um episódio mo trouxe de novo à memória, fazendo-mo reviver, na íntegra, obrigando-me a questionar se de facto se terá tratado de um sonho ou pelo contrário, constitui uma realidade recente, passada ou futura.

No meu sonho, o meio ambiente apresentava-se colorido, não apenas a preto e branco, e as pessoas movimentavam-se de modo gracioso. Lembro-me de ter perfeita noção de estar a viver um sonho, pelo que não devia dar demasiada importância a certos factos. Alguns minutos depois de acordar, retomara a boa disposição e até desatara a rir-me de mim própria. Mas, enquanto mergulhada e enlevada no meu imaginário, parecera-me tudo tão real …

Viajava de comboio, em marcha lenta, sob um céu azul claro, sentia a atmosfera ligeiramente humida e a temperatura era amena. Sucessivas e deslumbrantes paisagens surgiam a meus olhos, através das diversas janelas da ampla e semi-vazia carruagem, quase como relâmpagos, uma após outra, cada vez mais belas, ora sob a forma de nítidas imagens, ora dissipando-se, para voltarem a surgir de novo, claras, um pouco mais à frente, cada vez mais esplendorosas, exalando um odor que me era estranho, mas super agradável e algo enigmático.

A meu lado, um cavalheiro baixo e magro, entre os 40 e 45 anos, massajava-me as mãos que eu mantinha sobre as minhas pernas, cruzadas, ao mesmo tempo que me sussurrava palavras doces ao ouvido. Minutos antes, sentira uma mão colocar-me, delicadamente, sobre a cabeça, um chapéu masculino, que via agora reflectivo nas janelas do comboio, conferindo-me um certo aspecto místico/romântico, que eu não me atrevia a tirar, sob pena de interromper tão maravilhoso e diabólico sonho.


Confesso que me sentia-me bem assim cortejada, lisonjeada, mas igualmente causava-me algum constrangimento, pelo facto de não conhecer tal indivíduo e porque, exactamente em frente a mim seguia, sentado descontraidamente, o meu companheiro de mais de 2 décadas! Lembro-me que enquanto sonhava, a minha cabeça tentava discernir a lógica de tão estranha situação.

- Claro que só pode ser um sonho! Lembro-me de ter pensado para comigo durante toda a viagem.

- Isto é fruto da minha fértil imaginação ... é um sonho!

- Este sujeito, encantador, não existe! Mas ... e as paisagens? Serão essas reais? Perguntava-me!

- É um sooonhooo! Não tardarei a acordar. Sossegava-me a mim própria. Uma das frases que mais me suou ao ouvido e retive, rezava assim:


- És a mulher dos meus sonhos … Amo-te! Por ti, eu ia até ao fim do mundo! Queres ser a mãe dos meus filhos?

Apesar de ser muito céptica, dei comigo, mais tarde, a questionar-me como deveria interpretar este sonho. Acabei mesmo a fazer pesquisa. Transcrevo aqui o que descobri:

Chapéu – Uma moça sonhar que está usando chapéu de homem: brevemente se apaixonará. Este sonho geralmente revela que se está escondendo alguma coisa, projecto ou segredo. Sorte: burro.



E termina aqui a narrativa do meu sonho.

............................................................................................

Hoje, enquanto esperava na fila do Multibanco do hipermercado, uma voz segredou-me ao ouvido: És a mulher dos meus sonhos … Por ti, eu ia até ao fim do mundo! Amo-te! És a mãe dos meus filhos …Que dizes à ideia de subirmos juntos o Rio Douro???

É por isso que não me tiram da cabeça … os sonhos têm algo de real!!! Só não consigo entender onde encaixa o dito chapéu masculino ... muito menos, o ”burroda sorte. eheheheh

8 comentários:

Sharon disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sharon disse...

Ola n
Que somho incrível...ainda mais contado com estas palavras
Adorei as outras histórias
E o nome do blog "Estados de Alma "
Minha primeira vez aqui gostei muito

Pascoalita disse...

Xiiiiii que imagens lindas! Não admira que tenham sico criadas em sonho, ou terá sido o contrário? As imagens deram origem ao sonho? Hummm há muito que tb eu "sonho" com algo semelhante. O comboio e paisagens fabulosas fazem parte do meu iomaginário, só não me lembro de nenhuma presença masculina a sussurrar-me ao ouvido isso tb eu queria eheheheheh
Um bonito texto
beijinhos
P.S. Saí do meu cantinho, atrás da minha amiga Laura ... pensei encontrá-la por aqui, mas afinal devemos ter-nos desencontrado

eu disse...

Com tanta beleza, até eu sonharia com uma bela princesa :-)

Laura disse...

O sonho comanda a vida como uma bola colorida nas mãos de uma criança.. Sonhar é bom, é lindo e eu tneho inspiração para muitos versos durante o sonho... Beijinhos pa ti e que os sonhos se realizem ehhhhhhhh, os que tens mesmo em vida real.ahh olha que podia ser o mafarrico vestido de homem lindo todo bom como tu dizes ahhhhhhhh....ehhhhhhh..

adrianna disse...

Vira pra lá essa ideia, laura! O mafarrico? Assim, tão catito? todo esbelto que nem um APOLO? dizendo coisas lindas só para mim? Pois se era o mafarrico a tentar-me, bem o conseguiu ... fiquei completamente arrebatada, extasiada :-)
Mas que belo mafarrico e que mãos macias ele tinha eheheh

adrianna disse...

Oi, sharon :-] gostei da visita. Vou-te cuscar logo que posa, tá??? 1 beijo

africana disse...

Realmente até onde nos podem levar os sonhos, ou a imaginação..tá visto que a Adrianna é uma sonhadora nata!Mas há por aqui mais..haahaha