terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

Mensagem a uma Amiga(?)...




Faz hoje 3 anos! Jamais esquecerei a data … 6 de Fevereiro de 2004!

Desde então, creio poder afirmar que não houve um único dia em que não me lembrasse de ti, das nossas conversas, da forma carinhosa como escutavas os meus desabafos e me sossegavas, como também não esqueci a promessa de disponibilidade e eterna Amizade. “EU estarei sempre aqui”, prometias-me então …“conhecer-te, foi o melhor que me aconteceu neste terrível ano de 2003”.
Uma súbita mudança de atitude, a que se seguiu um silêncio tumular, sem te merecer uma única explicação, provocou no meu peito uma ferida profunda que sangra até hoje. Ferida essa que a dúvida e a incerteza de te saber feliz, aliada ao esforço que me obrigo, de nunca te julgar, têm impedido de cicatrizar!

Disse-te e mantenho, que serei sempre tua Amiga!!! Não te prometi que estaria aqui, mas … cá estou! Estive e estarei sempre à tua espera! E não duvides de que se ao longo de todo este tempo, em algum momento tivesse recebido um pequenino sinal de que precisavas de mim, não hesitaria em te levar o meu fraterno abraço.
Vivo em permanente conflito interior, fechada numa concha, entre a recusa em me dar por inteiro a novos Amigos e a auto-penalização por me proteger e privar de agir com a espontaneidade que me é peculiar e a isso tu poderias pôr termo. Tu tens a resposta … Porquê? O que fiz eu de errado?
Onde quer que estejas, recebe o meu sorriso e o meu caloroso abraço e sê muito feliz … SEMPRE !!!

Adrianna

5 comentários:

Laura disse...

Olá...
Decerto essa amiga já entendeu isso, ou preferiu afastar-se ao não lhe ligares sempre... Minha querida, quem não arrisca, não petisca, e eu nunca tive medo de me dar a novas amizades..è o que é e pronto..o que sai dali depois se verá...Porque não a procura se der..e reatam e de novo voltam a ser as amigas do antes e do depois? Nada como tentar.. E já agora, boa sorte sempre..beijinhos..

adrianna disse...

Amiga Laura, nunca fui do tipo de mendigar amizades. Entrego-me sempre de alma e coração, mas ao mínimo sinal de algum cansaço da outra parte, eu própria me afasto ainda que isso me provoque uma dor imensurável.
No caso desta amiga, o que me atormenta é a incerteza, a dúvida e o facto de algo dentro de mim me dizer que o seu afastamento não foi voluntário ... alguma circunstância alheia à sua vontade a levou a agir assim.
Obrigada, laura. Deves ser uma boa alma :-)
Volta sempre
Beijinhos

Laura disse...

Olá querida..a incerteza não é boa companheira..Pão pão, queijo queijo... Tenta saber, isso não é mendigar nada, na amizade nem se mendiga..Gosta-se gosta-se e pronto..
Se pidesse ajudar já tinha ligado..ó amiga então? continuamos amigas ou não? se sim, sim..se não, não e prontos, as explicaduras viriam depois... Beijinhos..

africana disse...

Há atitudes e posturas que se sentem directamente na pele sem que as palavras as acompanhem..e podemos tirar delas as ilações certas e necessárias para actuarmos em conformidade.

#alguma circunstância alheia à sua vontade a levou a agir assim#.

Isto não é desculpa para as "nossas atitudes" incorrectas, como adultos somos responsáveis pelos "nossos actos", não culpemos terceiros pelas "nossas culpas"!Sejemos verdadeiros,esqueçamos os interesses que nos privam de ser correctos e nada disto acontece!

Cara Adriana não deixe que os interesses que ofuscam a "pseudo amizade" dessa sua amiga lhe atropelem a sua beleza de alma!Acha que errou? Não? ENTÃO MANTENHA-SE IGUAL A SI PRÓPRIA!NÃO TENTE SER AQUELA PESSOA QUE OS OUTRO QUEREM QUE SEJA!AO FAZÊ-LO DESCARACTERIZA-SE E PASSA A SER COISA NEHUMA!
É a única maneira de se deitar e sentir-se bem consigo mesma!

adrianna disse...

"ser igual a mim própria"

Ora aí está! É o que tenho feito sempre. Mas se por um lado é algo de que me orgulho e motivo de bem estar, tb me tem criado mtos problemas ao ponto de me fazer sentir a tentação de mudar, de ser menos eu própria.
Clara que as poucas tentativas que fiz nesse sentido, não passaram disso mesmo ... tentativas ou intenções eheheh
Um bfs ... 1 beijinho