terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

Hora de trancar a porta ...


Está decidido! Um pequeno incidente precipitou as coisas e hoje mesmo coloquei a tranca na porta … fechei o meu coração a alguém que não merece a minha Amizade. 3 anos é tempo mais que suficiente para ponderar e repensar atitudes … tempo mais que suficiente para a explicação que há muito aguardo pacientemente. Acabo de concluir que não chegará nunca!

Na verdade, já me tinha proposto esquecer a sua existência, mas de cada vez que começo a sentir-me familiarizada com o facto, algo acontece que quebra o silêncio, impedindo-me do propósito de fechar definitivamente a porta, pois embora possua uma boa dose de tolerância, costumo bater com a porta uma única vez!

Quem me conhece de facto e não apenas superficialmente sabe que pode contar com uma Amizade, lealdade e dedicação extremas, mas no caso concreto, há muito que ultrapassei os limites do razoável.

Tenho um coração muito mole é o que é … uma Amiga está sempre a alertar-me para esse facto, mas se é verdade que não podemos mandar nos nossos sentimentos, podemos pelo menos encarar de frente os próprios erros , assumi-los ... repará-los e evitar repeti-los.


5 comentários:

Pepe Luigi disse...

Adrianna,
Obrigado pela sua passagem e comentários ao meu sinestesia.

Vejo que se trata de uma boa pessoa
e pelo facto de persistir a existência do seu dar e receber a deixa preocupada e entra em conflito consigo própria.
Pela nobre razão de já admitir que assume os seus erros, é algo que humanamente nem todos possuem.
Lembre-se que tem uma vida à sua frente e de que um novo dia é uma nova alvorada.

Um abraço
José Luís.

adrianna disse...

Encontrei no seu "sinestesia" uma forma de escrita a meu jeito que me mto me cativou.
Apesar de cada vez dispor de menos tempo e de momento não estar na minha melhor forma emocional, já me comprometi (tomei a liberdade)de, aos poucos, me ir deliciando com as "memórias".

Admitir o erro nunca foi para mim problema. Os amigos até costumam "acusar-me" de ser demasiado "auto-crítica" e me punir em demasia. O difícil é acertar na medida em que me devo dar aos outros.
1 beijo

Pepe Luigi disse...

Bela adrianna,
Jamais a deverão acusar, outrossim compreendê-la porque sobretudo pureza é um valor que está em si por natureza.
O poder de auto-crítica infelizmente não chega a toda a gente.
Portanto com estas duas grandezas aproveite de uma forma positiva os seus "erros".
A pouco e pouco irá aprendendo sobre o distanciamento que deverá manter perante os outros.
Frequentemente é difícil discernir a diferença entre uma amizade, uma paixão ou um amor.
Compassadamente e em situações de circunstância estude bem estas três importantes vertentes da vida e verá que lentamente o fiel da balança se irá manter na verticalidade.
Rentabilize os seus preciosos valores.

Um abraço, e porque não um beijinho
José Luís.

africana disse...

Não posso estar mais de acordo,Pepe.

adrianna disse...

Olá, Zé Luis :-)

Fiquei emocionada com as suas palavras, soaram-me a algo familiar, como se pronunciadas por um dos meus Amigos mais próximos.
A nossa filosofia de vida, os valores pelos quais nos pautamos são constantemente postos em causa, obrigando-nos ou impelindo-nos a rever a nossa forma de estar e por vezes até chegamos a duvidar se estaremos no caminho certo.
Claro, por que não 1 beijinho?
tudo de bom
:-)