quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Custa ...



Custa...

Custa sorrir quando só apetece chorar...
Custa falar quando o silêncio parece ser o melhor companheiro...
Custa ouvir quando só apetece desabafar...
Custa ver a felicidade dos outros quando o que mais apetece é ser feliz...
Custa viver quando só apetece sonhar...

(autor desconhecido)



11 comentários:

Jotabê disse...

Custa acima de tudo saber que muita gente está mal, muita gente que à primeira vista até nem tem razão para tal, mas o facto, é que as razões de cada um, são muitas das vezes o mal menor para quem olha distanciado, e talvez seja essa mesmo a principal razão, a cada vez maior distância entre todos nós.

:|

:)

Feliz Natal

Rui Caetano disse...

Um poema de uma profundidade e um incentivo descomunal. A vida só tem sentido se lutarmos cada vez mais pelo nosso sorriso e pela nossa felicidade e nunca pelo choro, esse, vem, de vez em quando.

Cusquinha disse...

Num fiques triste, nina!

Diz-se que a vida são 2 dias e o carnaval são 3 (e a reinação não tarda aí ehehe)

Bora lá animar

Carlos II disse...

[...a cada vez maior distância entre todos nós.]

Exacto, jotabê. Isso apesar desta sociedade dita da comunicação.

Adrianna, um beijinho

Laura disse...

A vida nem sempre são rosas…



A vida nem sempre são rosas.
Eu que o diga que sempre pisei seus espinhos
A viver aos bocadinhos, a felicidade quase ausente.

Já pisei tantos espinhos nos meus caminhos,
Também recebi delas o seu odor tão suave,
Tão abençoado, puro, cristalino.

Nem todos sabemos desviar-nos dos espinhos.
Nem todos sabemos desviar-nos dos seus caminhos.

Mas, se sabemos que aquele caminho nos leva aos espinhos
Porque não tentamos desviar-nos?
Seguir por outro atalho
Que nos levará onde queremos
E onde menos espinhos encontraremos.

Basta querer, e poder seguir…
Sabemos que vamos sofrer
Mas que importa, se lá no fim
Teremos o doce aspirar das rosas, à porta! …

A menina importa-se de sair da toca e dançar esta musica? com quem? saia de casa, vá pela rua e dance com quem passar, ora essa!...
Eu continuo numa de me fazer feliz a mim e mai nada, se espero pelo outro bem posso esperar sentada ehhhhhhhhh, ri-te nina, mas não me vão ver mais lacrimosa, isso já era...pá frente o mundo ainda tem tanto para descortinar a uma boba como a mim ou a nós ehhhh. andor nina linda...

Betynha disse...

O que observo com frequência é que quem está mesmo mal de verdade nem sempre é quem mais se queixa!

Talvez o sofrimento continuado, provoque uma espécie de apatia.

Alegra-te! É uma ordem

Teté disse...

Até pode custar... mas o que tem de ser tem muita força!

Jinhos e Feliz Natal para ti!

Laura disse...

nina, anda ver o mê barquinho e sabes quem apareceu ali de lençol? pois é, ele mesmo e vai lá ver, junta-te a nóisiznhos na distribuição de amor por todos os portos da terra...
Beijinho nina e faz um esforço, olha pa mim que mandei tudo às urtigas e tou toda feliz e nem sei porquê...andor nina, anda lá anda lá, ai ai ai...

Cusquinha disse...

Deixo-te o meu sorriso de orelha a orelha, que embora ultimamente ande um pouquinho amarelito, é sempre um sorriso verdadeiro e carinhoso :)

E vê lá se abres as janelas! Já vai sendo tempo de enfeitar a árvore e arejar as decorações de Natal, não?

O Profeta disse...

Para ti que me visitaste
Ao longo destes poucos meses
Ofereço-te uma prenda singela
Uma estrela de mil cores

Roubei-a ao firmamento
Deposito-a na tua mão
Para que neste Natal
Te ilumine o coração

Um Santo e Mágico Natal


Doce beijo

Laura disse...

Ai que bom que a nina foi espreitar a partida e a chegada e meteu-se no barco, agora peço que vás lá de novo, é que gostei tanto que fosses lá que meti pra lá a malta a dançar à sua moda e cada um reveja-se ali, que ramboiada a nossa...beijinhos nina querida e arrebita...